Amigos mortos na fatal colisão com ônibus, após regressarem da festa clandestina, vão ser enterrados em Sertãozinho, SP

Neste último domingo,um acidente, tirou a vida a 7 pessoas.Tudo aconteceu  no regresso a casa, depois de uma festa clandestina. O carro em que os jovens seguiam bateu de frente com outro veículo. Segundo o relato do motorista do ônibus, o condutor não conseguiu mais controlar o veículo ao fazer a curva.






O velório irá se realizar nesta segunda-feira (20) em SP. Seguindo todas as normas devido à pandemia, os velórios vão ser realizados com curta duração, e participantes reduzidos. A previsão do velório está prevista para inciar as 7h.
Os familiares das vítimas, não quiseram fazer qualquer comentário sobre o acidente.Duas das jovens , Isadora e Beatriz eram primas.
Saiba agora os nomes e idades das vítimas:
Ailton Soares da Silva, 36 anos
Mateus Henrique Sclaunik, 23 anos
Maycon Douglas Pereira Carvalho, 26 anos
Isadora Vasconcelos da Silva, 17 anos
Beatriz Vasconcelos Ferreira, 19 anos
Jefferson Luis dos Santos Meira, 30 anos
Daniela Genari Santos,15 anos
loading...

O trágico desfecho, se deu no início da manha desse último domingo, na estrada vicinal Alcídio Balbo. Os amigos seguiam num carro, que perdeu o control e bateu num ônibus de trabalhadores rurais, segundo o delegado.
O motorista do ônibus, conta que não teve tempo de fazer o desvio, uma vez que o veículo invadiu a pista em sentido contrário e numa curva. Os ocupantes da viatura morreram ainda no local. Condutor do ônibus, feste teste do álcool mas o resultado deu negativo.
Ainda segundo, o delegado o grupo regressava de uma festa que aconteceu em uma casa de campo ,no bairro das Colinas de São Pedro, onde até ao momento o endereço continua por não ser encontrado.




Devido às normais atuais à proteção do novo coronavírus, os eventos estariam proibidos de se realizar. “O organizador da festa, pode ser acusado e vir a responder por ter servido bebida aos adolescentes, e ter promovido uma festa clandestina, onde atualmente todas estão proibidas pelo decreto estadual e municipal, com medidas conta Covid-19.

Comentários

0 Comentários